terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Santa Cruz…..Ribamar da Lourinhã


Após muitos meses sem convívio hoje foi dia de encontro com dois dos grandes dinamizadores do PóTrilhosBtt…e mais uma vez o trabalho de casa do Rodolfo permitiu circular por zonas extraordinárias

Nada melhor que uma saída por zonas já há muito não cícladas por nós…

Saída ás 8h30m com o destino logo para a beira mar, paragem obrigatória junto ao miradouro de Santa Cruz, descida até á Azenha e toca a pedalar pelas arribas hoje até Ribamar da Lourinhã,  apesar de algumas duvidas no sentido a seguir conseguimos percorrer singles tracks brutais com muita adrenalina mas o que é o BTT sem essa adrenalina.

Durante este passeio tivemos o privilégio de usufruir de paisagens de cortar a respiração…o mar calmo e azul, o verde dos campos, e ao fundo as serras do Socorro e Montejunto….
Durante este passeio existiu um membro que apesar de não estar presente foi nomeado várias vezes, pois agora que vai partir para uma nova aventura todos nós ficamos ansiosos pelo seu regresso pois estes belos trilhos esperam por ele...até já Nuno Rodrigues.....

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Aldeias do Xisto 5, 6 e 7 de Outubro de 2012


 Foram três os impulsionadores que com muita antecedência deram corpo à conquista dos trilhos das famosas Aldeias históricas do interior Centro.
As terras de Xisto receberam de assalto os destemidos Paulo Osório, Adalberto Carvalho e Pedro Almeida, aos quais se juntaram mais quatro excelentes trepadores e animadores, Paulo Coelho, Vítor Cândido, Luís Ramos e Nuno Santos.
O início ficou repartido por dois pontos de encontro, um na margem sul e outro na margem norte do rio Tejo, para depois convergirem na área de serviço de Aveiras às 8h15m.
A chegada á Lousã deu-se pelas 11h15, com uma paragem estratégica em Condeixa para um pequeno repasto em forma de pastel de nata gigante, (para alguns com canela).
Depois dos habituais preparativos de equipamento e do aprumar das bikes, pouco passava das 11h45 quando os pneus começaram a rolar, já que foi para isso que a malta veio até á Lousã.
Inicio com uma subida em alcatrão com 4 km e uma de inclinação bem acentuada (puro aquecimento). Alguma controvérsia á mistura quanto ao sentido do track, até que finalmente o desfecho, mais uma vez, mostrou que o organizador não falha.
O Casal Novo foi a primeira aldeia a receber a nossa visita, pequena mas muito bem cuidada e acima de tudo habitada por uma empresária bem Portuguesa, que nos descreveu um pouco da história deste pequeno canto e da sua casa típica que aluga a quem por estas bandas quiser disfrutar de dias que voam no tempo. Feitas as despedidas e os agradecimentos, no horizonte surge a Talasnal, esta bonita aldeia ficou sem dúvida marcada pela hospitalidade e pelas sandes de queijo e paio, ai, ai...
Á saída do Talasnal, esperava-nos uma subida que obrigou a queimar todas as calorias ingeridas e mais alguma de reserva. Com a chegada ao ponto mais alto, chegou também o primeiro imprevisto, falhamos a entrada num dos cruzamentos e a descida por um trilho fora de rota, retirou-nos a possibilidade de visitar o Terreiro das Bruxas e o Vale de Nogueira, (irei voltar a este tema no final aonde irei classificar os pontos positivos e negativos deste fim de semana). Chegada à Pousada por volta das 16h00, para um banho retemperador e marcada a saída para as 17h45, mas esta de carro para visitar Candal e Catarredor.
De volta à Pousada e após o jantar fizemos um pequeno Briffing pelas 23h para definir horários do dia seguinte.

FOTOS 1º Dia: https://picasaweb.google.com/102172656476890248264/AldeiasDoXisto1Dia_5Out_2012?authkey=Gv1sRgCMephLzPl6rpPA#5797644383566739218

No segundo dia, (sábado), conforme acordado a saída deu-se pelas 07h45 com destino a Gondramaz. Sem dúvida e como referenciado pelo plano de estudo, o dia mais longo e duro da aventura… 80 km com 2600 m de acumulado. O tempo bem fresco deu-nos as boas vindas à chegada a Gondramaz, aldeia que está no topo das melhores e mais bem preservadas aldeias que vimos nos 3 dias.
Vencida a etapa mais dura, o início da pedalada deu-se por volta das 09h00 e para não variar toca a subir, subir e porque não subir um pouco mais, o que valeu foi que a boa disposição continuava a imperar.
Pelo caminho avistamos um pequeno veado, verdadeiros momentos para retemperar forças do desgaste do nosso dia-a-dia na cidade carregado de confusão.
A chegada á Cumeada desvendou-nos uma vista privilegiada de Castanheira de Pera, passagem por um parque eólico de grande dimensão e uma vista em redor onde se via tudo e todos, fantástico. Desfrutarmos os privilégios concedidos, toca a descer até á Praia de Ana de Avis onde fizemos uma paragem para devorar umas sandocas de queijo e presunto servidas a preceito.
Continuamos até às Fragas de São Simão, local paradisíaco com uma água transparente a puxar para um mergulho, mais um local top.
A partir daí o bem bom tinha terminado, agora toca a subir de volta a Gondramaz, passando pelo centro de BTT da Ferraria de São João, prosseguindo até mais um local de vista estrondosa, S. João do Deserto. O retorno a Gondramaz fez-se já com o sol a desaparecer, por volta das 19h00.


FOTOS 2º Dia: https://picasaweb.google.com/102172656476890248264/AldeiasDoXisto2Dia_6_Out_2012?authkey=Gv1sRgCJLn-8D-kMHzfA#5797651108843000802

No terceiro dia, saída á mesma hora mas a deslocação até ponto de partida teve de ser feita de carro numa extensão de 65 km. Foi perto das 09h00 que chegamos a Casal da Lapa, e vamos lá por o material Ok que já se faz tarde. Este dia foi sem dúvida o mais marcante, não por demérito dos outros percursos mas sim pelo mérito destes trilhos do Concelho de Pampilhosa da Serra.



Partimos de Casal da Lapa em direcção a Unhais o Velho com um panorama excelente sobre a Barragem de Santa Luzia, passagem por Aredas com uma pequena paragem para uma bucha de barras, gel e marmelada. Reinicio com uma da subida até ao ponto mais alto (1023 m) para usufruir de uma singular paisagem sobre as Aldeias do Xisto e os Penedos de Fajão. O dia proporcionou também trilhos verdadeiramente de BTT com single tracks técnicos de pedalar e chorar por mais.

Como ultimo dia foi mesmo o dia da pouca sorte pois, 3 furos, um espigão partido, uma queda.
 
Para terminar em beleza estes 3 grandes dias nada melhor que um banho em plenas águas da Barragem de Santa Luzia.....


FOTOS 3º Dia:
https://picasaweb.google.com/102172656476890248264/AldeiasDoXisto3Dia_07Out2012?authkey=Gv1sRgCLPf09y7sqa6Ng#5797664377208185810

> Grupo, "malta" do bom e do melhor
> Locais de passagem excelentes
> Vistas brutais
> Percurso e sinalizações do 3º Dia
> muito, muito mais.....

PONTOS NEGATIVOS

> Marcações no primeiro dia na Zona da Lousã...muito mau, mesmo péssimo, pela análise efectuada julgamos que se trata de um abandono total por parte dos responsáveis.
> Centro de BTT de Casal da Lapa fechado para férias de 1 a 15 de Outubro, sei lá o que dizer… incrível, não havia ninguém para substituir a senhora que está de férias!!!!
 
Esta foi sem duvida uma das aventuras para mais tarde recordar e acima de tudo para repetir em 2013 num outro lugar deste nosso país maravilhoso......
 
Pedro Miguel Almeida
 


segunda-feira, 30 de julho de 2012

Stª Cruz By Night 27-07-2012 - Santa Cruz

 O dorsal do "Patrocinado"

Após um longo interregno de eventos organizados pelos Pótrilhosbtt, eis que surge numa conversa a hipótese de reeditar o Stª Cruz By Night, evento que organizei em 2011 pela altura do Ocean Spirit em Santa Cruz, evento esse em que só compareceram 3 elementos. Pelos vistos a sede de pedal era muita para este ano, e após breve inquérito pela malta amiga, vi que a coisa tinha rodas para andar…
Foto de Grupo antes da partida

Risquei o track, fiz o reconhecimento e fiz muitas alterações àquele que viria ser o evento com maior participação organizado pelos Pótrilhosbtt. Sendo que as redes sociais são um dos melhores métodos de publicitar uma maluquice destas, publicitei o dito no Face, e não é que no dia apareceram uns 30 marmanjos dispostos a andar no mato pela noite dentro.
A metralhada sempre bem disposta

O track foi composto de muitos dos trilhos já conhecidos, mas também de algumas novidades, como por exemplo o Trilho das Pontes, cortesia da Ribabiketeam…
Track e gráfico de altimetria

 O ritmo foi sempre moderado, visto ser e noite e serem poucos os elementos com GPS. A animação foi constante, as picardias foram sempre salutares, assim que se avizinhava uma subida, lá se alinhavam os “cavalões” para o despique.
Dário Santos, o nosso infiltrado
Tivemos tambem a participação do amigo Dário Santos, que apesar de não poder pedalar fruto de uma lesão no joelho, fez questão de fazer parte do percurso a correr, e aproveitar para treinar para o Trail run noturno de Óbidos. Curiosamente o dito apesar de fazer metade do percurso fez quase a mesma média a correr que nós de bike.
Tou na dúvida, fomos nós que pedalámos pouco ou o gajo correu muito :-)
Houveram alguns enganos, poucos, que originaram verdadeiras “escaladas” pelo mato, e com o trilho logo ali ao lado…

Malhos!?!? Sim também os houve mas em dose moderada até porque a velocidade não era elevada.

O Pegasus foi ás Silvias, pensava que eram amoras...

"Tou no chão não tarda, tou aqui tou a cair" e não é que caiu mesmo
O Merujo foi ao charco e o David tambem quis...

Quase no fim do percurso fizemos a passagem triunfal pelo passadiço da praia, com paragem obrigatória pelo Ocean Spirit, ou não fosse essa a desculpa para a realização do  passeio.
Chegámos aos carros cerca da 1h15m da manhã, com uma barrigada de trilhos e um sorriso de orelha a orelha, satisfeitos com a passeata.

Resta-me agradecer a todos os participantes, nomeadamente á Metralhada que vieram de Lisboa para curtir os nossos trilhos, ao pessoal da Venda, 100Mãos é que é, ao pessoal dos amigos do pedal, ao grande atleta Hugo, o patrocinado, ao “Sandochas” (Diogo Franco) um puto com 15 anos que se portou á Home e não se negou a nada, eu suma ao pessoal todo que se apresentou á chamada, sem saber o que este gajo tinha preparado para eles.

Quero agradecer também ao Paranhos que no domingo anterior ao evento me fez ver que o percurso como estava era muito “duro” para se fazer á noite.
O BTT é isto mesmo, cumbibio, dar ao pedal com a malta amiga, mandar umas goelas e umas valentes rizadas, tudo isto regado com uns singles á maneira… 

Deixo-vos uns vídeos, o link das fotos e o track, para o caso de haver alguém interessado em fazer de dia o que +/- 30 malucos fizeram de noite.

Mais uma vez o meu muito obrigado a todos, agora até Setembro que a loja fecha para férias…
Vou ali pôr os pés de molho e já volto :-) 
Cumps
RODAS

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Esposende 2012

Com várias interessados e após tudo combinado decidi pela 3ª vez participar no Evento em Esposende.
Como caso único consegui ter a intenção de participação de 7 elementos (colegas da empresa) com 4 deles a terem o seu batizado neste grandioso evento...porém...nos últimos dias tudo mudou e o que era para ser uma grande mancha....passou a ser uma simples pinta...ou seja só eu é que resisti....a chuva, a lama, etc, etc foram os motivos que alguns decidiram evocar para a sua não presença, apesar de alguns com uma grande actividade na respectiva preparação conseguirem tirar 100 gramas ao seu peso que daria muita diferença no ritmo imposto durante a meia maratona, paciência, por certo brevemente iremos estar perante uma entrada em grande numa maratona de todos estes tenrinhos praticantes!!!!
Quanto ao evento tenho a dizer que apesar de positivo achei uma meia maratona demasiado fácil e com muitos estradões permitindo um ritmo mais alto mas com poucas zonas técnicas, todos sabemos que o evento com 2.000 participantes tem de ter alguns cuidados por causa dos engarrafamentos...uma imagem de marca que eu tinha deste evento era a ponto sobre o rio e a passagem dentro de muitas aldeias aonde a envolvencia dos seus habitantes permitia um convívio salutar e aonde a boa disposição vinha ao de cima...


O abastecimento bastante bem preenchido permitindo um repor de energias...algumas descidas bem acentuadas ajudando a repor a médias que as subidas faziam baixar...
Pessoalmente a meia maratona correu-me bem, conseguindo fazer 2h20m, num lugar honroso 267º...o que fez com que conseguisse superar o principal objectivo que era fazer menos de 2h30m

Não direi um até breve pois toda a logística e os €€ despendidos para quem mora longe são muitos mas acima de tudo um dia voltarei...

FOTOS EM:


Um abraço

Pedro Almeida




quarta-feira, 18 de abril de 2012

Santa Cruz_PóTrilhos_OrangeBTT

Após a confirmação de aproximadamente 17 dos OrangeBTT e mais 8 elementos dos PóTrilhosBTT eis que nem a chuva nem o vento fez os inscritos desistir.
Manhã com o tempo algo instável mas a boa disposição imperava, encontro ás 8h30m para saída ás 8h45m, com um ligeiro atraso 25 elementos á partida para um passeio que se cria acima de tudo divertido e sem quedas a deixar marcas...
Primeiro ponto de paragem Miradouro de Santa Cruz, aqui a paisagem estava deslumbrante aonde avistavam as Berlengas (existiu quem se lembrasse que a próxima saída podia ser ás Berlengas), foto de grupo e toca a descer que o vento era muito...descida algo estranha pois o vento era tanto que mais parecia uma subida com 10% de inclinação....a partir daqui passagem pela Azenha, Paredão da Praia de Santa Cruz até ao primeiro Single Track junto da praia do Navio....

Após estas passagens eis que se entra nas famosas Arribas de Santa Cruz aonde a perícia tem de entrar em acção....mais uns km e entrada numa não menos bela zona de Single Ttack nas Arribas da Praia de Santa Rita....paisagem deslumbrante, subida pequena mas a deixar marcas com as botas a terem de tocar no solo....e a partir daí descida até á Fonte dos Frades...aqui pequena paragem com direito a marcação de almoço...quem vai, quem não vai e confirmam-se 15 elementos....
Após a paragem de 10 min eis que toca a pedalar pois as pingas e o vento podem voltar....ligação em alcatrão até á zona aonde a lama fez a sua aparição....mas nada que deixa-se os bravos do pelotão desanimados....pequeno revez pois o Paliotes ficou sem que me tivesse apercebido para traz, mas um telefonema resolver este pequeno problema....
Entrada em mais um estradão para a meio virarmos á direita e entrar por uma descida que dava acesso a mais um Single Track, este ligeiramente a subir mas não menos espetacular....após mais este momento de grande prazer de BTT eis que um azar chega ao nosso amigo Adalberto e um pau colocou-se estratégicamente no seu desviador (segundo alguns elementos foi a melhor coisa que lhe aconteceu a ele e ao Osório que aproveitou para voltar para casa mais cedo, segundo teoria do amigo Candido, ambos já estavam KO`s...lolololo)
De seguinda eis que uma subida com inicio em alcatrão e a meio passava para terra batida, com uns 20% de inclinação só dois elementos do extenso pelotão conseguiram subir tuda em cima das BIKES (Luis Ramos e Vitor Candido)...Para recompensa deste esforço mais um Single Track que dá acesso novamente á Fonte dos Frades....
A partir daqui entramos numa zona mais rápida e acima de tudo serviu para aumentar a média e assim terminar por volta das 13h....
Após um banho retemperador no Parque de Campismo de Santa Cruz, toca a seguir até ao Restaurante da Praia Azul para repor todas as calorias gastas e guardar algumas para mais uma semana de trabalho..

A todos os elementos dos OrangeBTT, os elementos dos PóTrilhosBTT agradecem a vossa presença ficando já o compromisso de um novo passeio para nova data a agendar....

FOTOS EM:
https://picasaweb.google.com/117765325032936574085/StaCruzBTTPotilhosBTTOrangeBTTAbril2012#slideshow/5732856093413724338

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Paranhos da Beira_Ortigueira_Carvalhal

Manhã fria com o termómetro a marcar os 3 graus pelas 9 horas.

Ponto de encontro hoje só com o Pina no "Terreiro da Igreja" para dar inicio a mais uma voltinha de descompressão.

Saída em direcção ao Pradinho aonde o ritmo era sem duvida elevado pois a inclinação descendente era muita....entrada num vale aonde avistava a Quinta do Gonçalvinho a todo o Santuário da Santa Eufémia e nas costas a grandiosa Serra da Estrela....sem duvida paisagem espectacular.....


Após esta passagem descida muito técnica até á Ortigueira, aonde qualquer BTTista fica com os penos arrepiados de tão espectacular que é a descida....chegada junto do leito do Rio Mondego local aonde se constroi uma nova Barragem que esperamos seja mais um motivo de interesse de uma região para quem o Turismo pode ser uma saída para estes tempos difíceis em que vivemos.


Após uns km a ciclar junto do leito eis que a subida para o Carvalhal da Loiça se impunha com a passagem por um Largar de Azeite infelizmente em ruínas em que nos seus tempos áureos era movido a água...


Chegada ao Carvalhal e aí decidimos ir até visitar mais um local histórico o qual ao fim de muitos anos descobri...uma Anta que infelizmente já foi adulterada pelo homem junto de um engenho de retirar a água também este num estado de conservação de deixar a desejar.


Após umas fotos eis que nos dirigimos a mais um monumento histórico de uma Anta junto da estrada que liga Paranhos da Beira a Vale Torto e de seguida até a uma perto da Sobreda esta sim num estado de conservação exemplar.



Após 35 km aproximadamente chegada novamente a Paranhos e com o desejo de repetir passeios destes (muito culturais) rapidamente nesta bela zona..



Paranhos



Fotos em:




Track em:



segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Paranhos da Beira "Passeio c/ Pina & Marcio"



Ao fim de algum tempo e por falta de oportunidade, eis que surgiu a oportunidade de dar uma volta com os companheiros Pina e Marcio.

Saída por volta das 14h30min, com o objectivo de dar uma volta para conhecer mais uns locais numa zona que tanto me diz.

Ritmo calmo com destino a Vila Verde, até aqui por caminhos já por mim cicláveis, próximo destino Seixo com paragem junto de uma Anta (aqui uma verdadeira reliquia num estado muito bem tratado) pequena paragem numa fonte para um pequeno reabastecimento...mais uns km e passagens por alguns ST de cortar a respiração mas aonde a adrenalina foi ao rubro.....

Mais uns Km e toca a descer para um pequeno aglomerado de casas com uma pequena Capela no Alto...aqui avistava-se a Aldeia do Ferro, uma paragem mais longa com um abastecimento Solido e um retemperar de forças para sair deste belo local ocupado por Holandeses a recuperar casas já desabitadas após um incendio de grande dimensões...toca a subir, subir...mas nada de grande empeno...para chegar ás Seixas, depois Vale Torto, descida para Vale de Igreja e Cadimas e novamente em Paranhos.....






Amanhã á mais.....agora só com o Pina...