sábado, 4 de dezembro de 2010

Santa Cruz’s tracks by PóTrilhos Btt – 01.Dez.2010



Após uma semana de incerteza, com um frio de rachar e chuva a potes eis que chegou a hora de mais um evento PóTrilhos Btt, para recordar.

O frio era mais que muito, a fazer lembrar a passeata de 2009 a tal que até os “coisos” congelaram e, das cerca de três dezenas de maluquinhos do pedal previstos, apenas 19 não se renderam ao conforto do lar e aos argumentos femininos "…tu és mesmo maluco….".

Acto de coragem colectiva e vamos lá pessoal, vamos dar inicio ao II Passeio PóTrilhos Btt e, claro que o São Pedro fez parte dos resistentes e não deixou de nos regar a partida.

Inicio com passagem pelo centro da bela Vila de Santa Cruz, descida pela Praia e a vista formidável a servir de pano de fundo para o aquecimento, rumo às arribas, onde o cheiro a maresia e a beleza das praias serviu de entusiasmo e doping para as dificuldades que nos aguardavam.

No final das arribas reencontro com o mais que "frustrado" Nuno Faia, (as melhoras amigo), que por motivos de saúde a sua participação neste “carrocel”, teve de se resumir ao papel de fotógrafo, sendo o responsável pela foto de grupo. Em nome do PóTrilhos Btt um muito obrigado.

Como Bike vassoura, foi rapidamente perceptível que o andamento mais lento nada tinha a ver com a falta de pernas, mas sim com o espírito muito agradável de ver e rever caras com quem falamos no fórum e outras conhecidas de outras paragens.

O martírio dava pelo nome de subida à Pedreira, com a lama a fazer das suas, no entanto logo compensado pela deslumbrante paisagem da costa de Santa Rita, servida por um single track formidável. O São Pedro não resistiu e ficou-se pela Pedreira, deixando o sol reinar em parceria com as nuvens, dando um pouco de conformo a estes trabalhadores de fim-de-Semana/feriado, (as más línguas dizem que foi uma reacção á teimosia de um dos aventureiros, com as repetidas passagens pelo mesmo vale até o conseguir vencer).

A descida até á Fonte dos Frades foi efectuada de forma rápida mas escorregadia, não sem antes arrancar umas boas risadas de quem ficou a assistir a ousadia de descer de uma "rampas" mais radicais até então.


Tempo para um coffe break, isto é mais barra break e venha a nova etapa.

Etapa para o interior, por entre um bonito bosque de subida complicada, onde a lama nos obrigou a mudar a tracção para “pedantes”, na maior parte da subida e, para alguns, descida também. Já no alcatrão chega a hora de dividir o Plutão e os mais destemidos rumam a uma subidinha com algumas escadas em pedra, invertendo os papéis, homem/bike, com a promessa de mais um single track de guardar na memória, por uma descida de rebentar com os níveis de adrenalina. Os mais realistas, contornaram o obstáculo e ficaram a assistir na bancada a assistir a descida radical e inesquecível de que todos os que desceram tiveram de ser "proibidos" de voltar para traz para repetir.

Após mais um momento de confraternização e conversa, e retomamos caminho até mais uma zona onde a adrenalina esperava por todos. O tal single track em plano inclinado descendente que se denomina “68”… onde alguns elementos chegaram a fazer o “69”... mas no final da descida a satisfação foi unânime, quer pela beleza do single track, quer pelo grau de exigência.

Com a passagem de todos estes acontecimentos existe sempre algo que corre menos bem e como o relógio não pára, tivemos de fazer alguns ajustes ao percurso reduzindo os Km e o contacto com a lama porque a zona não percorrida era propicia à sua presença.

Até ao fim, o andamento foi mais acelerado excepto para alguns cujos azares com câmaras-de-ar que não resistiram às ordens dos donos (ir para o carro) e por vingança quiseram estar mais tempo a admirar o quanto de belo existia há sua volta.

Para os resistentes na leitura deste longo texto um muito obrigado, por certo mais havia para escrever e descrever mas para quem foi a memória guarda o que de bom tivemos e para os que não puderam ir fica o convite para 2011 independentemente do São Pedro...

A todos os presentes um muito obrigado.

Fotos em:

Um abraço
Equipa PóTrilhos Btt

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Passeio de Aniversário do Póvoa 14/11/2010

Combinada a passeata para ter inicio às 9h na casa do Póvoa, estava com algum receio, sabendo o temporal que tinha estado durante a noite, do que seria a nossa manhã de btt. Inicialmente a contar com um grupo de 6, acabámos por ser 3 os dispostos a enfrentar o S.Pedro, viesse lá o que viesse. O Paranhos lesionado, a Ana Lúcia e o Vítor atarefados com a herdeira restavam ainda eu o Ndraker e o aniversariante e guia Póvoa.
Saí de casa a pedalar via Ecopista a saber que teria que fazer cerca de 8 kms até á casa do Povoa a bom ritmo se não quisesse ser o ultimo, tempo ainda para apanhar o Ndraker e mostrar-lhe o caminho até ao “controlo 0”.


Preparar as meninas, pôr a indumentária a jeito e ala que se faz tarde.
Começamos com uma sequencia daquilo a que o Póvoa chamou singletracks (não há fotos pq estava demasiado ocupado a rir!!!) descida rápida até á praia da Assenta para o calvário da subida de pista de motocross. Em cima da bike??? Desenganem-se ainda não vi ninguém a fazê-la toda… ainda por cima com lama. Toca de empurrar ladeira acima… Mais umas pedaladas depois de limpos os calcantes pq a lama não dava tréguas, breve paragem para a foto da praxe e um momento de apanhados…



Retomamos as pedaladas e no Talafe seguimos direcção à descida para S.Lourenço para fazermos a voltinha do Rio. Entrados em alcatrão apanhamos o empeno do dia cerca de 1.2 kms a subir (a subida do Encarnação2009) para depois descermos para as Azenhas dos Tanoeiros seguindo-se Soltaria e Escravilheira começando aqui a procurar o rumo de casa porque a hora já ia avançada e não queríamos fazer as “Marias” esperar. Resumindo passeata porreira a um ritmo aceitável tendo em conta as condições do terreno. Tempo ainda para a lavagem das meninas e aí o S.Pedro abriu as torneiras… Estava à espera que chegássemos a casa para mandar a chuva. Banhinho, almoço, parabéns ao Póvoa e assim passámos um bom domingo, naquela a que começa a ser a grande família PÓTRILHOSBTT.

As fotos: http://picasaweb.google.com/117765325032936574085/BarrilBTTNov2010##



O track: http://www.gpsies.com/map.do?fileId=uibpjnvpprisnleu


Cumps
RODAS














domingo, 7 de novembro de 2010

V Itenerários da Memória A. Dos Cunhados 2010


Zona envolvente já conhecida para alguns, no entanto passeio novo para mim.
Sendo uma zona pela qual sinto um grande carinho, tentei convencer e lá consegui de levar o Osório o Adalberto e agora um novo companheiro o Eduardo (irmão do Adalberto).
Ponto de encontro para não variar no Laboratório Militar, saída á hora programada, manhã agradável um pouco fresca mas acima de tudo sem chuva.



Chegada a A-Dos-Cunhados ás 8h20m, buscar os Dorsais junto do Rodas para montagem e preparação de todo o material e encontro com os nossos parceiros(as) Paulo Póvoa e Ana Lúcia...pois o Rodas como membro de organização, estava de faxina com a função de bicicleta vassoura e não nos poderia acompanhar.

Tenho que realçar um ponto muito negativo para a organização pois a saída que inicialmente era para ser á 9h só se deu inicio ás 9h35m....

Quanto ao restante passeio só tenho a dizer bem...e muito bem...umas subidinhas iniciais para aquecer a musculatura pois esta encontrava-se em estado gélido.

Após os primeiros kms o nosso companheiro Osório deu de fuga, pois o seu andamento é de campeonato nacional e o nosso é de regional....

Toda a prova realizada na companhia do Adalberto e do Eduardo ande a boa disposição nunca faltou e o espírito de camaradagem esteve sempre presente.


Sem duvida que tenho pena de não ter alguns registos fotográficos para demonstrar tudo aquilo que acabo de descrever mas infelizmente a máquina não estava em dia sim.....


Pelas noticias que tive o nosso companheiro Paulo teve alguns precalços o que o obrigou a fazer um atalho para evitar ter de chamar o reboque, quanto á nossa grande mulher Ana Lúcia pelo que sei chegou ao fim com menos uns kilometros visto que tambem ela teve que atalhar dado o avançado da hora....

O Rodas cumpriu com a sua tarefa e conseguiu motivar os menos bem preparados...





Um abraço a todos e parabéns a toda organização.

Fotos em: http://picasaweb.google.com/117765325032936574085/07112010VItenerariosDaMemoria##


Percurso em: http://www.gpsies.com/map.do?fileId=lpvmvuqpahfatkjx

Um abraço
Paranhos

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Reconhecimento Stª.Cruz S.Tracks 24-10-2010


Começou bem cedo o nosso reconhecimento, algo escuro com o S.Pedro a querer pregar-nos uma partida. Começamos a pedalar por volta das 8h com o vento fresquinho a fazer-nos lembrar o passeio do ano passado, aquele sabem? O das temperaturas negativas!!! E estamos nos “Anzois”, qual controlo 0, aqui começa a passeata, breve passagem pelo calmo centro de Stª Cruz, seguindo depois a marginal até ao inicio dos Stracks (pelos vistos ainda consigo arranjar alguns que a malta não conhece, eh, eh, eh…) Arribas, arribas e mais arribas, trilhos obrigatórios num passeio pela zona e começamos a rumar às subidas que nos levam a outro dos emblemáticos Singletracks da zona, o trilho que liga a “Pedreira” á Fonte dos Frades, com paisagem deslumbrante (não fosse eu da zona), paragens aqui e ali para fotos e eis que a Scapel se lembra de furar, “ah, isto é só vazio”, toca de bombar ar para fazer o resto do trilho até ao possível local de abastecimento, a Fonte dos Frades, aí sim tivemos mesmo que parar para trocar a tripa á Scapel, muita gente numa de “mexa-se, pela sua saúde”, caminhadas, pedaladas e afins, tudo serve para combater o sedentarismo.

Depois de resolvido o precalço voltamos aos singles que nos levam à “escadas” e posteriormente a uma série de singletracks que terminam no “escorrega”, um singletrack bastante técnico a fazer valer os melhores kits de unhas para não riscar o cromado. Mais uma série de estradões e chegamos ao Trilho das 68, porquê? Porque demorou 68 horas a abrir este trilho (boa Malandrosbtt), quanto a mim este é mais um dos melhores da zona, novamente toca a sacar do kit de unhas, pelos vistos o Paranhos não o sacou a tempo e vai de arranhar o cromado, pelo menos assim a patroa tem provas, eh, eh, eh (tou a brincar). Toca a subir para a Fonte Lima para entrar novamente em Singles, pena é que “andou lá o fogo” numa das partes que retirou um pouco a beleza do trilho, nada que a natureza não consiga resolver… Descida para o Vimeiro seguindo-se a Maceira e vai de subir até ao Valongo, sequencia de estradões porque depois de tantas paragens para fotos e avarias já se começava a alongar a nossa passeata, estradões esses que nos levariam a mais uma sequencia de singletracks que viriam a acabar com a entrada em Sta. Cruz sensivelmente a meio da ciclovia.
Acreditamos que este “Stª Cruz – S.tracks” irá fazer as delicias tanto dos “rolantes” como dos “técnicos”, tanto dos que gostam de subir como dos que gostam de descer…
O dito tem aproximadamente 37 kms e 800 mts de acumulado, quem quiser mais, dá duas voltas, eh, eh, eh…

Até dia 1/12 para o oficial... com menos frio do que o do ano passado, esperemos.


Fotos aqui: http://picasaweb.google.pt/117765325032936574085/24102010_ReconStCruz_Stracks_byPOTRILHOSBTT##

Track aqui: Um dia destes...

O pó dos trilhos alimenta-nos o ego,

Cumps
RODAS

domingo, 17 de outubro de 2010

Os trilhos da Arrábida


A manha começou em contra relógio e mais uma vez acabaram todos por ter uns minutos extra. Obviamente que aproveitaram para fazer um pequeno aquecimento, de voz, claro, porque não se pedala sem umas boas 'picardias' seguidas de umas boas gargalhas.


Os primeiros kms foram de estrada, o verdadeiro aquecimento, que também serviu para combater o frio da manha, que fazia sentir a falta das mangas cumpridas e das luvas com dedos. Os estradões foram companhia constante e no horizonte a serra que prometia dar muita luta.

A serra acabou por chegar a nossos pés, isto é rodas e como prometido, cedo começou a castigar quem se aventurou a desafiar a subida ao seu cume. Subir, subir e mais subir, apenas a necessidade de saltar o portão nos fez interromper a escalada, molhar a boca e soltar mais umas gargalhadas. Vencido o obstáculo, voltamos a subir, subir e subir até mais não.

Depois da enorme penitencia eis-nos no topo da Serra com a Península de Tróia e o estuário do Sado a deslumbrar-nos a vista e fazer esquecer o quanto penamos para a desfrutar.

Reabastecimento, desconversa do costume e tirada a foto da praxe, volta ao pedal, mas agora é só descer, descer e descer. Afinal com esta mudança de prisma a subida não parece tão difícil. Desta vez o objectivo não era tão impetuoso, mas muito mais delicioso, os estradões era tudo o que nos separava das desejadas Tortas de Azeitão acompanhadas de uma Coca-Cola bem fresca.

Regresso à base por estrada...

Aqui ficam as fotos:
O pó dos trilhos alimenta-nos o ego
NDraker

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Sintra - Barragem da Mula 10-Out-2010


Após uma noite de muita indefinição, vou não vou, sozinho ou acompanhado....vai chover não vai chover....eram 7h45 qd dei uma espreitadela pela janela e a decisão foi tomada...vou e por certo sozinho e quase de certeza que não chove....

Saí de casa eram 8h30....por estranho que pareça a única chuva que apanhei foi logo ao colocar a bicicleta em cima do carro e ainda por cima com o céu azul......

Destino barragem da Mula em Sintra pois após uma pesquisa no dia anterior saquei um track para melhor me orientar.

Inicio a pedalar com a descida até á estrada Sintra-Malveira entrada na Quinta do Pisão, aqui zona totalmente desconhecida mas bastante interessante tanto a nivel de beleza como a ser um optimo local de aquecimento para a subida á serra.

Após 4/5 km nesta zona inicio da subida em estradão e entrada em alguns singles track já conhecidos e explorados com o meu grande companheiro NDraker.

Com uma temperatura excelente para a prática desta modalidade iniciei a subida até á Peninha.

Apesar de alguma névoa consegui ver uma área bastante aceitável para relembrar a beleza de tal horizonte.....

Descida pelo lado do Guincho aonde as pedras no caminho obrigavam a uma atenção redobrável para que o cromado não ficasse com mossas.....paragem na fonte (peço desculpa de não saber o nome) para refrescar e beber água bem fresca para carregar um pouco mais de energia para chegar ao fim...agora por certo mais fácil pois o desnível era a descer e os restantes km eram mais reduzidos do que já tinha sido fito até á altura....

Para resumo posso dizer que mais uma manhã excelente de BTT tanto pelo percurso e beleza como pela decisão acertada de ter saído de casa mesmo apesar da incerteza....

Fotos em:

Paranhos

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Pótrilhos BTT no Jornal Badaladas - Torres Vedras

O ATV55 2010 foi alvo de uma reportagem no Jornal Badaladas de Torres Vedras, que deu a conhecer o que se faz pelas terras do Oeste ao nível do BTT e aproveitando "...o facto do 'modelo' se ter prestado à foto...", promoveu também a nossa pegada ecológica no mundo do BTT, destacando o Rodas e o Paranhos, cada um no seu estilo.

Em baixo transcrevemos a reportagem da jornalista Eunice Francisco a quem agradecemos a gentileza em ceder-nos a foto e generosidade em nos ter presenteado com e a sua visita ao nosso blog.

"....5ª Maratona ATV55
A prova juntou mais de 500 participantes

Mais de 500 BTTistas participaram na 5ª Maratona ATV55 organizada pelo Académico de Torres Vedras, no passado dia 19 de Setembro. O ponto de encontro foi o pavilhão da ExpoTorres, que serviu de partida e chegada para o evento. Entre os participantes encontravam-se, tal como em edições anteriores, duas referências no ciclismo português, nomeadamente Vítor Gamito e Marco Chagas.
Nas palavras de Vítor Gamito “foi muito bem organizado. Posso dizer que foi do melhor que já fiz, as condições que o pavilhão de exposições permitem muito contribuíram para a qualidade do evento”, uma opinião partilhada por muitos outros participan- tes.

O passeio foi constituído por três percursos, de 60Km, 30km e 15km. Os dois primeiros tiveram graus de dificuldade maiores, enquanto que o mais pequeno, chamado de “BTT para todos”, teve um grau de dificuldade baixo, já que o seu objectivo é o de promover a prática de BTT para os inexperientes na modalidade e estimular a participação em família. Os percursos passaram por várias localidades bem conhecidas do concelho. Em simultâneo com a maratona, decorreu o passeio pedestre “No trilho dos Dinossauros”, que contou com 36 participantes.
A boa disposição de todos marcou o arranque do evento e continuou depois bem evidente durante o almoço-convívio que se realizou no pavilhão.
Ordem de chegada 60km: 1º Vítor Gamito; 2º Marco Paulo Antunes da Silva; 3º Helder Miranda. 30km: 1º Marco André Pinto; 2º Pedro Amaro; 3º Luís Miguel Pereira Carvalho...."



O Pó dos trilhos alimenta-nos o ego
NDraker / Paranhos / Rodas


domingo, 19 de setembro de 2010

5ª MARATONA ATV55 BTT - Torres Vedras - Set.2010

Após a dispersão pelo país fora do Pelotão Pótrilhos, eis que surge um reencontro de um "elevado" número de elementos, Eu, Rodas, NDraker, Paulo e a recém mãe Ana Lúcia... (Parabéns aos Pais babados Ana e Vitor pelo lindo rebento a Constança)

Manhã muito agradável com o céu encoberto e a permitir uma temperatura excelente para a prática do BTT.

Encontro ás 8h em casa do Rodas e saída até Torres… levantamento dos dorsais rápidos a dar tempo para os últimos preparativos…… com tudo pronto confirma-se para breve chegada da nossa companheira Ana Lúcia (pois o dar de mamar tem destas coisas e os horários nem sempre são possíveis de ser cumpridos).

Com os 4 elementos na meta deparasse a notória diferença do Jersey do nosso estimado colega NDraker… que por motivos alheios a tudo e a todos (inclusive a ele) não se fez equipar a rigor… ”é pena os estatutos não estarem prontos senão era uma multinha para o jantar de final de época….”.

Com todo este bom humor toca a arrancar… apesar de ser possível realizar 2 tipos de passeios 30 e 60 km todos os elementos ficaram pelo passeio dos 30 km… inicio do passeio pelas artérias da bela cidade de Torres Vedras com aproximadamente 2/3 km que deram para alongar o pelotão e colocar cada um no seu lugar mediante o seu andamento… ”excelente”… pouco antes da entrada em terra lá vem a nossa grande heroína Ana Lúcia para entrada imediata no pelotão.

Logo com a entrada no piso de terra inicio de uma subida para que o aquecimento tivesse um pouco também de transpiração…. Com todo o percurso a realizar-se por zonas já antes “batidas” e na qual deu para verificar o andamento em sentido contrário do percurso de 2008 em algumas partes… no entanto é e frisar a beleza e a variedade do percurso em nada monótono e de com uma dureza QB.

Em termos de participação podemos considerar bastante positiva com o finalizar por parte de todos os elementos e um excelente 1º lugar da Ana Lúcia na categoria feminina, pois apesar do seu tempo de ausência em virtude da maternidade conseguiu este belo efeito ficando á frente de nomes consagrados……

Até breve..






Paranhos
O pó dos trilhos alimenta-nos o ego

domingo, 12 de setembro de 2010

Up and Down - Seia - Set.2010

Mais um evento nesta bela zona, que a mim me diz muito… Apesar de longe fiz questão de no espaço de uma semana me dirigir até às Beiras por duas vezes.

Depois de analisar na “Teoria” o percurso, conclui que o inicio ia ser demolidor… passagem dos 500mt para os 750mt de altitude em 6/7 km…..”incha” que é obra…. Após subida tão marcante, eis que uma descida “fenomenal” até Vodra… técnica, dura… mas mesmo muito interessante….

Mais uma etapa passada e o percurso ficou mais rolante, deu para encontrar o meu ritmo… até que a subida para Sameice ficou mais uma vez na memória… mas feita a pé… dificuldade superada mais uns km rolantes até mais ao menos 1 km da meta… e aí para equilibrar o empeno eis que uma subida com uma inclinação bem acentuada, com o calor a apertar……


Como comentário final posso afirmar que apesar de dura… embora isso tem mais a ver comigo do que com a organização… gostei imenso e já tenho marcação na minha agenda para o fim de semana de 1 de Novembro repetir este percurso……

A todo o pessoal de Seia, Filipe, Miguel e restantes elementos muitos Parabéns….

Fotos em:


Um abraço
Paranhos

VI Passeio BTT - Terrugem - Set.2010


Depois de um pouco contrariado, mas convencido pelos meus colegas locais, lá fui também até à Terrugem em representação dos PÓTRILHOSBTT. Apesar de já conhecer grande parte dos trilhos por onde passei até curti alguns, especialmente a descida do Pobral para S.Julião, espectáculo... Um ou outro single track digno desse nome, uma ou ooouuutraaaa subida, estradões e alcatrão á mistura e pedra a montes, resumindo o normal para a zona.



Depois do slalom das arribas eis que chega o abastecimento, a preceito com tudo o que manda a cartilha dos eventos bêtêtisticos, e aí começou o meu martirio. "um furo, toca a trocar, dasss... o pipo torcido, raios partam os pipos finos..." mais dois kilometros e "tenho que voltar a pôr a outra, se aguentou 20 km mal será que não aguente o resto..." Ai, o pipo sai agarrado á bomba e quem é que ficou agarrado quem foi? Euzinho, toca de fazer 7 kms a penantes até à Lagoa da Assafora para me encontrar com a Strakar da assistencia (mais uma vez, obrigado pela boleia). o meu passeio foi isto : 21 kms de bike 3 ou 4 kms a penantes e 2 câmaras de ar pó lixo.



Mas nem tudo foi mau. Até ao abastecimento foi até que foi porreiro. Valeu pela companhia sem dúvida nenhuma, obrigado malta, obrigado Luís (Wizi) por teres ficado até ao fim, mas eu sei que tu não querias era ir a pedalar, meu calão… Assim que ouviste falar em strackar, ui, ui… eh,eh,eh..



Fotos em:

http://picasaweb.google.pt/RodolfoBarreira/12092010_PasseioBttTerrugem2010#




Cumps

RODAS


domingo, 5 de setembro de 2010

III Maratona BTT "Nelas Coração do Dão"










O mote do fim de semana foi Dão Nelas!

Manha fresca com a chuva a espreitar, mas sem que se tenha atrevido a dar um ar da sua graça. 

A prova começou com um passeio pela cidade de Nelas, para ajudar a dispersar o plutão e a entrada no piso natural do BTT coincidiu com o inicio das maravilhosas paisagens das terras do Coração do Dão. O percurso teve um grau de dificuldade reduzido, mas recheado de trilhos fantásticos, com alguns estradões à mistura e a temperatura no seu melhor para a pratica do pedal. 

A preparação da prova foi feita no dia anterior, com a companhia do David e da Rita, em Paranhos da Beira, que nos mostraram que a estratégia de pedalar em equipa nos traria algumas dificuldades adicionais, o que se veio a revelar logo nas pedaladas iniciais, com a nossa habitual diferença de ritmo, que rapidamente fez com ao o Paranhos se tenha perdido de mim.... B) bem lá para a frente.

Depois do belo passeio pelas terras do Dão, nada como terminar no centro da Feira do Vinho do Dão.

Aqui ficam a fotos:

http://picasaweb.google.com/117765325032936574085/IIIMaratonaBTTNelasCoracaoDoDaoSet2010?authkey=Gv1sRgCODLt67ygc2lsAE#slideshow/5521285254779711506

Percurso em: http://www.gpsies.com/map.do?fileId=eofamkcolsqukisq&referrer=trackList

O pó dos trilhos alimenta-nos o ego.
NDraker

domingo, 22 de agosto de 2010

Sintra BTT - Ago.2010

As férias começam a ganhar lugar na recordação e chegou a hora de voltarmos a dar ao pedal.

O regresso ao trilhos foi abraçado pela nossa fantástica Serra de Sintra, que como sempre, brindou-nos com os seus encantos e castigou-nos com as suas penosas subidas.

Num ritmo de passeio fizemos pouco menos de duas dezenas de quilómetros, até à Peninha, onde fomos assolados pelo segundo furo, o que acabou por ditar o regresso antecipado.

Regresso, que nos foi facilitado pela ajuda dos vigilantes da Serra, (companheiros de BTT, mas numa linha de prevenção e preservação da Natureza), a quem a sorte também traiu com a quebra do "dropout", que resultou na troca de bicicleta, trazida pela carrinha que acabou por nos levar de volta ao carro. 


Um muito obrigado aos amigos da Natura Observa.

Aqui ficam as fotos:

O pó dos trilhos alimenta-nos o ego.
NDraker

terça-feira, 13 de julho de 2010

Soltaria 10 Julho 2010

Este era sem duvida um evento que me deixava um pouco ansioso, pois era o primeiro "passeio" organizado que o David ia....
Apesar de tudo sempre demonstrei junto do David que tudo ia ser fácil e que tudo ia correr bem....
Chegada á Soltaria por volta das 15h30m, fomos até ao secretariado levantar os Dorsais e tudo para o David era novidade e as perguntas sucediam...porque? quando? quantos? etc, etc, etc...

Voltamos ao carro para colocar os dorsais nas Bicicletas, aí o David mais importante se sentiu quando viu a sua bicicleta com o numero 30....afinal era o seu primeiro dorsal....aos 6 anos acabados de fazer
Fomos até á partida e esperamos um pouco, pois o inicio estava previsto para as 16h e só saímos por voltas das 16h20m....e aí o David desabafa....."pai estou ansioso"....o que para muitos era um passeio para o David era um grande desafio....
Saída a um ritmo mais baixo e na cauda do pelotão pois a Roda 20" mal se via junto das restantes 26", subida ligeira pelo alcatrão e entrada na terra que logo passou a areia....pedalada ante pedalada o David lá ia todo contente e a conseguir equilibrar-se nas areia movediças e de difícil equilíbrio.....
Após a separação dos 45km o terreno começou a ficar plano e acompanhar os elementos mais crescidos não era tarefa fácil, no entanto nunca a cara foi virada á luta até á Foz do Rio Sizandro...aí o guia Fernando fez um reagrupamento com (+/- 4 km)...
Após esse reagrupamento toca a subir em direcção á Assenta...subida íngreme a exigir que o carreto e a pedaleira fossem mexidos e uma pequena ajuda ao David em nada fizeram que a estrela ficasse sem o mesmo brilho....
Após os 7,5km chegada ao abastecimento, uns bolos e umas gelatinas fizeram a delicia da pequenada ajudando ao mesmo tempo a retemperar forças....
Após a saída do abastecimento passagem por zonas muito técnicas (arribas) a exigir um cuidado muito grande pois qualquer deslize podia originar uma queda...aí o melhor foi mesmo umas pequenas descidas a pé....
Após esta zona técnica, passagem por uma pequena travessia aquática em que o David superou com grande mestria logo a seguir grande estradão de areia como de uma praia se tratasse a dificultar a marcha.

Após mais esta dificuldade ultrapassada, chegada á Escaravilheira aonde o alcatrão reapareceu e facilitou a chagada á meta aonde com grande alegria o David chegou com um ar de dever mais do que cumprido.....

A todos peço desculpa da baba espalhada durante toda esta mensagem mas de outra coisa eu não podia deixar de fazer...afinal quem tem um filho destes....




A todos os elementos da organização e participantes que em muito incentivaram o David um grande obrigado....

domingo, 11 de julho de 2010

Vale do Vouga 4 Julho 2010


Pois é...com a época a terminar e o calor a apertar vamos nós até Águeda terminar os eventos antes das merecidas férias.

Saída no sábado por volta das 17h50m e chegada a Oiã, ás 19h10m, viagem calma e serena pois as forças antes das férias já são poucas.

Tenho de admitir que a vontade era pouca e que o calor nada ajudava a que a vontade chegasse e cada vez mais satisfeito por ter optado por ir só aos 45 km em vez de ir á Maratona.

Após o levantamento dos dorsais e de um bom jantar de Leitão regado com um bom espumante tinto a dormida em Oliveira do Bairro o descanso prometia, no entanto e calor e o descanso nocturno não são compatíveis...mas lá se descansou e á hora lá estávamos acordados.

Saída do hotel rumo a Oiã para ir ter com os Guerreiros do BTT Oiã, saída rumo a Águeda...aonde a chegada foi por volta das 8h20m e a colocação das Bicicletas no KM Zero para que a posição não fosse muito lá para traz e que dificultasse o inicio fosse acrecida pois 1600 BTTistas em nada ajudava no inicio.

Após uma hora de espera e aonde deu para constatar que o calor seria o principal adversário de todos.....com a conversa que tive com alguns elementos que já tinham ido treinar no percurso todos eram unânimes em afirmar que o percurso era duro e que se tinha de ter calma para se conseguir superar as dificuldades.

Com o rolar durante 5/6 km em alcatrão para dispersar o pelotão, rolar esse logo com alguma inclinação aonde a roda da frente se encontrava em plano superior.

Entrada nos trilhos da terra aonde o primeiro obstáculo foi o Pó...pó esse que quando o sol batia nada se conseguia ver no chão e aonde a roda ia completamente a conquistar kms com alguma falta de segurança....

Após mais alguns km sem duvida que outra dificuldade apertava e essa cada vez mais difícil de suportar chegando mesmo ao ponto ponto de ser insuportável..chamado calor...julgo que existiram algumas zonas aonde o ponteiro devia chegar aos 40 graus........ou seja...estava perante 2 dificuldades que só mesmo a natureza podia "manobrar" ...pó e calor....

O percurso apesar de alguma dureza nos primeiros 25 km nada era do que estava á espera depois do tais relatos, no entanto poucos Singles Track`s e muitos estradões e alguns km em alcatrão....

Emblemática sem duvida a zona do Abastecimento aonde vi companheiros em pleno divertimento com banhos no Rio e aonde o divertimento superava a vontade da classificação.

Os últimos Kms bastante agradáveis aonde o ST junto ao rio foi excelente e a sombra espectacular pois foi aí que me senti melhor.

Não posso deixar de endereçar um grande agradecimento á Sónia pela excelente companhia que me proporcionou durante os últimos 7/8 km.

O meu companheiro Paulo Osório sem duvida que teve um comportamento exemplar sem que o sofrimento por causa das condições climatéricas não o deixassem cair pois afinal este desporto é sem duvida belo mas também de muito sofrimento....

Banho de água fria......que soube que nem ginja....e almoço agradável....

Fotos:

http://picasaweb.google.com/113838865660714088368/ValeDoVouga_Agueda4Julho2010#slideshow/5493459144644060290

Paranhos

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Porto_ Santiago 10 a 13 de Junho 2010


Em tudo na vida devemos ter um objectivo, eu no BTT quando me propôs a desenvolver um pouco mais este gosto, não sabia o que encontraria nem quem conheceria, acima de tudo queria praticar desporto e dar umas voltas pelos “montes”
Estes quatro dias foram a prova mais que provada que isto é verdade e que isto do BTT nos vai surpreendendo.
Lá para os meados de Fevereiro o meu amigo Adalberto convida-me para fazer uma aventura de 3 dias…Porto – Santiago com a malta dos BTTORANJE….sem muito pensar disse logo que sim, sem que esta aventura estivesse nas prioridades de 2010…mas como o convite vinha do Adalberto e também da companhia sempre prestável e agradável do Osório e do Candido, vamos lá a isso…
Para falar bem verdade só uma semana antes é que interiorizei o que realmente ia fazer e o que tinha de preparar….como o desconhecimento era grande troquei umas pequenas impressões com o já experiente Paulo Osório…Jersey para um lado..botas para o outro e mala feita….
Qt a preparo físico…deixa-la!!!! pois tudo se resolve, afinal vou com muitos companheiros com verdadeiro espírito militar e por certo que se eu necessitar estes não me deixaram pelo caminho..lolololololo
Como grande desilusão neste processo inicial foi sem duvida a desistência do Adalberto….que por motivos extra BTT se viu obrigado a não comparecer na hora do “toca a reunir….”.

1º Dia - Lisboa => Porto
Ponto intermédio de encontro na rotunda centro sul em Almada ás 9h15m, depois disso toca a acelerar até á BykeMania pois todos os restantes elementos lá se encontravam…
Após uma longa e dedicada arrumação de bicicletas e as malas dentro da camioneta eis que o Sr. Afonso, dá inicio á peregrinação (pois o espírito iniciou logo no autocarro)…
Como primeira impressão deu logo para ver que o espírito estava presente e que o ambiente não poderia ser melhor..
Almoço no Rui dos Leitões em Coimbra para matar o bicho que já incomodava alguns de nós…refeição excelente e um grande bem-haja á grande comparticipação dos BTTORANJE na despesa final.
Chegada á Pousada da Juventude no Porto por voltas das 17h30m, após uma rápida arrumação dos haveres passeio de desentorpecimento das penas para o que havia de vir….
2º Dia – Porto => Ponte de Lima
Após a alvorada e o verdadeiro entusiasmo inicial, as primeiras pedaladas ás 8h30m em direcção á Sé….passeio de adaptação ribeirinho junto ao Douro para inspirar…chegada á Sé com um pequeno percalço logo aí resolvido (o pedal do Rick….tinha demonstrado algum desagrado na aventura)…
Carimbo inicial na Sé e aí sim iniciávamos a verdadeira aventura…..passados alguns instantes não é que o pedal não estava mesmo para estas andanças!!!! E aí toca a realizar a substituição para um de plantaforma…..(reparação e montagem 1h10m)…..
Contra este tipo de contratempos existem argumentos muito antigos….”Maus inícios bons fins”..
A passagem pelo Porto, Padrão de Moreira foi feita sempre em estrada e com algum perigo á mistura pois quem anda de carro por vezes não percebe o que são ciclistas……depois da zona urbana e densa inicio da natureza intervalada por localidades pequenas mas nada pequenas em beleza….S. Pedro de Rates com a sua igreja bem conservada e de uma beleza apurada….chegada a Ponte de Lima a uma velocidade acentuada pela responsabilidade da única representante feminina que ao tentar chegar á cabeça do pelotão originou um puro desafio entre elementos com velocidades a chegarem aos 35km/h, para quem já tinha 90km nas pernas não é nada mau…..chegada á Pousada da Juventude ás 17h30m
Resumo: 96,92km > Média 15,8 Km/h > a pedalar 5h58m > Altimetria +/- 1095 mt

3º Dia – Ponte de Lima => Pontevedra
Pequeno almoço servido em doses limitadas (saquinho individual) a relembrar a chamada “ração de combate” a adivinhar o que vinha por aí…inicio ás 8h40m..manhã fresca óptima para pedalar e segundo relatos este seria o dia mais “durinho”….este dia sim um verdadeiro dia de BTT, Singles Tracks excelentes…lama qb, paisagens, ui, ui, ui sem lá nem sem como descrever…e chegada á tão famosa Serra da Labruja…aí sim á que dar ao pedal e colocar força nas pernas…até que existem zonas que não dá mesmo ir em cima dela e a solução é coloca-la em cima de nós pois o puxar/ empurrar não era a melhor solução..aí sim um verdadeiro espírito com os grandes companheiros Candido e Osório aonde o divertimento e a boa disposição reinaram…..final da subida a colocação de umas quantas pedras a maçar a nossa passagem e inicio da descida…ai, ai, ai….não sei o porque mas é mais neste tipo de inclinação que a minha Scalpel se sente mais á vontade…….chegada a Valença por volta das 12h45m e toca a almoçar pois o bichinho já estava a atacar…após uma hora de recuperação toca a pedalar pois a média estava baixa e o Candido não tinha as luzes….passagem do rio Minho até Tui…aí iniciava a nossa aventura em terras de “nuestros hermanos”, a partir daqui a sinalética muda e a “Vieira” impera na sinalização…passagem por Porriño, Redondela, aonde o apetite começou a iniciar a sua aparição….será que todas as reservas já tinham ido? Por certo, apesar de alguns elementos da aventura controlarem a quantidade dos alimentos ingeridos por mim a minha vontade imperou e hoje posso afirmar que sem duvida a alimentação e os líquidos ingeridos foram uma grande ajuda para superar as pequenas grandes dificuldades….a passagem de um rio/ riacho com os pés molhados serviu para separar os 5 verdadeiros Peregrinos dos outros…… e chegada a Pontevedra por volta das 19 horas….após um óptimo banho nada como um grande Rodízio para recompor as forças…..que bem que soube……
Resumo: 96,08Km > Média 13,3km/h > a pedalar 7h12m > Altimetria +/- 1405 mt
3º Dia Pontevedra => Santiago de Compostela…

Inicio algo atribulado com a descoordenação do pequeno almoço na hotel..nada que a vontade de seguir não fizesse rapidamente esquecer….

Inicio muito rolante em piso de terra batida e com uma média bastante aceitável para o espírito da aventura, as paisagem continuavam a deslumbrar as pequenas aldeias belas e com umas características semelhantes á nossa bela região do Minho….
A +/- 5 km de Santiago e após uma subida íngreme avistasse a tão desejada Catedral….aí já se dá como tudo vencido e ultrapassado com bastante prazer e esforço….
A 1km da Catedral toca a reunir as tropas pois a chegada terá de ser toda em conjunto e assim foi, entrada nas ruas estreitas cheias de peregrinos e visitantes aonde o bater das palmas ao nosso grupo foi arrepiante a acima de tudo gratificante…..
Após a chegada o arrepio e a mistura de sentimentos pois se a satisfação por estar a conseguir concluir o objectivo proposto, existe também já uma grande nostalgia por estar a terminar…porquê? Por tudo o que vi, por tudo o que aprendi e por todos os elementos que partilharam estes dias comigo e que me ajudaram a ultrapassar alguns momentos difíceis a nível físico e mecânico…..

Resumo: 67,47Km > Média 14,2km/h > a pedalar 4h43m > Altimetria +/- 855mt.

Partida de Santiago com destino até casa com uma paragem em Ponte de Lima para o ultimo jantar em grupo..chegada a casa ás 2h10m…..

Para terminar não posso deixar de agradecer a todos os elementos do Núcleo BTT Orange que com grande mestria conseguiram colocar de pé esta grande organização, no entanto e sem que os outros tenham sido menos importantes quero realçar o grande companheiro Candido, o presidente Vitor Silva, Rui Mira (mecânico oficial e representante da Byke Mania….) e ao Paulo Osório habitué destas andanças comigo….

Após este grande texto, termino com a grande sensação que não descrevi 1/5 daquilo que vi, nem as fotos que anexo chegam para concluir mas sim só para complementar…por isso aconselho a todos os amantes deste desporto….vão pois só indo é que se consegue perceber o que se sente…

Um abraço a todos os amigos do BTTOrange e até 2011 para a “Algarviana”…

Fotos em:
http://picasaweb.google.com/113838865660714088368/100610CaminhoDeSantiago1013Jun2010#slideshow/5484220306730411682

Tracks em:
http://www.gpsies.com/mapUser.do?username=potrilhosbtt&referrer=trackList

Pedro Miguel Almeida
(Paranhos)